top of page

5 dicas do Neuromarketing para melhorar seu conteúdo digital



Os profissionais de marketing têm usado técnicas pra psicologia para influenciar o comportamento dos clientes há anos - muitas vezes com grande sucesso.


Estar ciente dessas técnicas é útil, esteja você criando um website, compondo um tweet ou escrevendo uma postagem no blog. A psicologia indica quais cores têm maior probabilidade de chamar a atenção ou por quanto tempo alguém pode manter-se interessado em seu texto. Quanto mais você souber sobre como a mente funciona, mais você poderá tomar decisões precisas.


Abrir mão desses artifícios não é imoral - pelo contrário. Saber como usá-las, pode melhorar a experiência do usuário e lhe trazer inúmeros outros benefícios. Portanto, aqui estão cinco princípios associados ao neuromarketing que podem ajudá-lo a criar um material muito mais eficaz.




1 - Fluência Cognitiva


O número de microdecisões tomadas ao longo do nosso dia é impressionante. Um estudo de 2012 mostrou que as pessoas julgam um site em 0,05 segundos - mais rápido que um piscar de olhos. Uma outra pesquisa, de 2013 da Microsoft, observou que a capacidade de atenção das pessoas está em 8 segundos, no máximo.


Assim, as pessoas preferem consumir conteúdo simplista e inconscientemente evitar informações que pareçam complicadas. Isso é fluência cognitiva.


É por isso que as pessoas adoram emoticons - elas comunicam emoção de maneira simples e extremamente rápida. Isso vale para tudo - de tweets a postagens em blogs. Quanto mais fácil for o seu conteúdo, mais provável será prender seu público e mantê-lo envolvido. Ao primeiro sinal de complexidade, eles irão embora.



Então, o que fazer com essa informação?


  • Se o seu produto é complexo, explique-o em termos básicos.

  • Torne seus posts o mais curtos possíveis.

  • Crie apelos claros e concisos.

  • Concentre-se em um tópico por postagem no blog, no vídeo ou em seu site.

  • Use imagens atraentes que comunicam rapidamente sua mensagem.

  • Use palavras-chave para que as pessoas saibam de imediato o que aquele post abordará.

  • Use infográficos e vídeos para comunicar idéias complexas de maneira rápida e simples.

  • Use emojis adequados à voz da sua marca.

  • Use hashtags para destacar o tema do seu conteúdo.



2 - Social Proof


Lembre-se de seus padrões de compra on-line. Você confia de olhos fechados no site ou pergunta a amigos e familiares opiniões? Lê um monte de comentários antes de fazer uma compra? Você verifica as mídias sociais em busca de opiniões comentários sobre o serviço e/ou produto?


Se você for além do site, então você é como 69% da população norte-americana, de acordo com a pesquisa da American Lifestyles da Mintel. Mais de 2/3 deles preferem ouvir outras fontes não-oficiais antes de realizar um negócio. Isso é por causa do Social Proof, que essencialmente significa que as pessoas são mais propensas a agir quando vêem outras pessoas fazendo a mesma coisa. Seja lendo um post ou fazendo uma compra, as pessoas preferem seguir os passos de outras pessoas como eles.


O Social Proof está se tornando mais importante à medida que o acesso dos consumidores a dados e informações sobre as empresas cresce. Pense em como você pode mostrar os pensamentos das pessoas através do seu marketing de conteúdo.


Por isso os reviews são tão importantes:



Então, o que fazer com essa informação?


  • Estabeleça confiança para que os clientes fiquem à vontade para falar sobre sua marca.

  • Use estudos de caso da vida real em seu conteúdo.

  • Reúna e promova depoimentos.

  • Incentive seus clientes a deixar avaliações.

  • Colabore com digital influencers autênticos para seu público-alvo.

  • Incentive o lance mão do User-Generated Content

  • Promova a Erned Media em seu conteúdo.



3 - Perception Set Theory


Quando somos crianças e estamos aprendendo a andar, nosso cérebro precisa racionalizar cada passo até que isso se torne um processo automático. Muitas vezes, fazemos as coisas por força do hábito e nem precisamos pensar. Assim, quando uma nova situação desconhecida surge, temos tendência a usar experiências passadas que possam ser parecidas e, de forma analógica, tomarmos a decisão de como agir (quer saber mais sobre isso? Leia Thinking Fast & Slow, do Daniel Kaneman). Isso que é a Perception Set Theory (PST), que enfatiza a ideia da percepção como um processo ativo envolvendo seleção, inferência e interpretação.


Se você procurou, inconscientemente, um botão para clicar em uma página de destino, experimentou a PST. Você espera ver algo, então está atento a isso. Sua curiosidade muitas vezes leva você a continuar por um caminho até alcançar a resolução e satisfazer sua curiosidade.


As expectativas das pessoas são moldadas por experiências passadas. Selecionamos o que prestamos atenção, inferimos como ela funciona com base na experiência e combinamos as circunstâncias atuais com o conhecimento passado para interpretar o que fazer.


Esta teoria é a razão pela qual esses desenhos atraem interesse: interpretamos uma imagem baseada em nossa experiência. Assim, ao criar conteúdo, tenha em mente como o cérebro percebe situações.




Então, o que fazer com essa informação?


  • Crie um fluxo lógico na sua página de destino para estimular a curiosidade e atender às expectativas.

  • Inclua sempre uma chamada óbvia para realizar uma ação.

  • Não explique demais. As pessoas sabem intuitivamente o que é um CTA.



4 - Modelos de Persuasão


Embora existam muitos modelos diferentes de persuasão, o Fogg Behavior Model é particularmente útil no planejamento de conteúdo.


Dr. BJ Fogg, do Persuasive Technology Lab at Stanford University, era especialista em design de comportamento. Seu modelo de persuasão fornece um sistema para impulsionar o comportamento desejado. Ele acreditava que motivação, habilidade e um gatilho deveriam coincidir para que os usuários realizassem uma ação.


Motivação e habilidade são duas grandes influências para os compradores e são fundamentais para a criação de conteúdo efetivo. Para motivar as pessoas, seu conteúdo precisa conter mensagens fortes e relevantes. As mensagens também precisam ser facilmente entendidas - isso está ligado aos princípios da fluência cognitiva e da PST.



Mas no Fogg Behavior Model, você também precisa de um gatilho se quiser que as pessoas executem uma ação.



Então, o que fazer com essa informação?


  • Aumente a motivação fornecendo mensagens relevantes para o seu público.

  • Seja simples.

  • Inclua um CTA atraente para incentivar uma ação.

  • Certifique-se de que cada conteúdo inclua motivação, habilidade e um gatilho.



O princípio de persuasão de Robert Cialdini diz que, em um mundo de sobrecarga de informações, as pessoas pegam atalhos quando tomam decisões de compra. O medo de perder, o Social Prrof e simplesmente continuar a comprar o que eles sempre compram são fatores de influência.


O modelo de persuasão de Yale demonstra aos profissionais de marketing a importância de se construir uma marca confiável pois confiança, sinceridade e autenticidade afetam o comportamento.




5 - Psicologia das Cores


Se você perguntar a 5 pessoas qual é a sua cor favorita, qual é a probabilidade de elas dizerem a mesma? Mínima. Mas isso não significa que alavancar cores de formas consistentes não seja útil no marketing.


Estudos recentes sugerem que as pessoas julgam um novo produto dentro de 90 segundos depois de observá-lo - e até 90% dessa avaliação é baseada nas cores. A cor é uma consideração importante para os profissionais de marketing de conteúdo ao criar páginas da Web, escolher imagens de banner e planejar vídeos.


Tons de azul podem ajudar a construir confiança e lealdade com o seu público. O vermelho comunica energia e paixão, enquanto o amarelo pode comunicar tanto avisos como otimismo alegre. Se você quer que sua marca evoque o respeito pela natureza, fique com tons de verde, enquanto laranja dá uma impressão de diversão, emoção e urgência.


Nós trouxemos um artigo falando somente disso e você pode ler aqui.



Então, o que fazer com essa informação?


  1. Considere que a cor pode ajudá-lo a evocar a emoção desejada do seu conteúdo.

  2. Apresentar constantemente as cores da sua marca no seu conteúdo.

  3. Considere vermelho, laranja e amarelo para que os botões do CTA estimulem um senso de urgência.

  4. Certifique-se de que os botões do CTA sejam cores contrastantes para que se destaquem.




Conclusão


A aplicação desses conceitos aos seus projetos levará tempo no começo. Mas antes que você perceba, esses princípios se tornarão parte natural do seu planejamento de conteúdo. É provável que você já esteja envolvido em pelo menos um deles em sua estratégia de conteúdo, mesmo que de forma inconsciente.


No futuro, pense em como você pode usar esses princípios para proporcionar aos clientes uma experiência tranquila e movê-los mais rapidamente por meio do funil de vendas.










Fonte: Content Marketing Institute

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo